terça-feira, outubro 16, 2007

Ainda estou a pensar....

A D.Patuxa no fim de semana ao falar toda contente da ida ao zoologico saiu-se com esta:

- a S. (uma das educadoras) não foi mama, ela estava triste a mama dela morreu.

Eu fiquei meio sem jeito e apenas disse, tadinha já devia ser velhota.
A conversa ficou por ali, mas fiquei a pensar até ontem.
Quando a fui buscar vi a S. vestida de roupa escura. Perquntei discretamente á educadora principal se de facto tinha acontecido alguma coisa, ela disse que sim, que a senhora tinha morrido e falaram sobre o assunto na hora da "mantinha".
Ok, fiquei meio sem saber o que pensar, a sala é de 3 anos, não será muito cedo?
Eu até nem me importo, assim a primeira abordagem está feita, agora cabe-me a mim também educar sobre este assunto tão delicado.

Esta situação tem um aspecto positivo, sei que ela conta tudo, posso confiar no que ela transmite, assim é mais fácil perceber o que se passa na minha ausência.

Beijo e até já

7 comentários:

Carina M disse...

Olha realemnte é um assunto muito delicado, não sei até que ponto a conversa da "mantinah" foi ou não positiva, mas o que é ecerto é que as crianças, nesta idade tendem a acreditar no que lhe dizem por isso.....
Bjs

maria-joão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
maria-joão disse...

Nós sempre achamos que é cedo, mas a verdade é que quanto mais cedo fôr maior será a naturalidade com que mais tarde irão encarar a morte, que ao fim ao cabo faz parte da vida de todos nós.
Quando levo os meus meninos para casa passamos sempre em frente a um local onde se fazem velórios e alguns dias há muita gente á porta e carros funerários.
Ao passar ali falava sempre no assunto. As lágrimas caiam-me mas a voz soava normal e no banco de trás não me viam a cara. Hoje vão ao cemitério sem problemas e fala-se de morrer naturalmente com eles. Sabem que é muito triste mas também sabem que as pessoas de quem gostamos vivem para sempre no nosso coração. Não se isto os ajudará quando um dia perderem alguem deles (nunca aconteceu, felizmente), mas pelo menos já ouviram falar do que é.

Cristina disse...

São assuntos delicados mas acredita que as crianças nessa idade tem imaginação para cada coisa! A minha afilhada com 2 anos não podia ver a frente um primo meu.. e sempre que ouvia o nome dele ela dizia que ele estava no hospital morto porque tinha batido com a cabeça!
Nunca ninguém lhe disse nada.. ela própria acreditava naquilo..
Bjs

nosso disse...

Eu axo k nao há idades para certos assuntos, axo k aos poucos eles devem ir sabendo de certas coisas :)

Beijinhusssss

sorrisos da minha alma disse...

Elas são muito mais espertas do que imaginamos :-) disso nao tenho duvidas.
Beijos grandes

Susana Rodrigues disse...

Não, não é cedo. Nós transmitimos alguma informação (pouca) que eles retêm. Só se (e nos) vão questionar sobre o assunto quando for altura.
Depois... acontecem tantas coisas e há crianças que infelizmente têm de lidar com a morte bem de perto que falar-lhes de um acontecimento natural do ciclo da vida é, de certo modo, ajudá-los a lidar com situações mais difíceis mas por vezes inevitáveis.