quinta-feira, agosto 21, 2008

EU SABIA QUE ESTE DIA ÍA CHEGAR



Os dias passados em casa com as minha meninas dá tempo para todos os tipos de brincadeiras.
Ontem, e talvez porque fomos visitar uns castelos e monumentos no final de semana fez com que a D.Patuxa se lembra-se de brincar às princesas e ás noivas (coisas de menina).
Colocou o vestido de carnaval (de princesa, azul) e andou a dançar e a dizer que ia casar com o namorado dela lá da escolinha ( o Gabriel)
Mas a perqunta dificil chegou;
- Mamã, anda brincar comigo às noivas
Eu como sempre fiz a vontade e logo me levantei para brincar com ela,
Mas ela volta-se e diz;
- Mamã vai buscar o teu vestido de noiva e brincamos as duas
Eu, meio sem jeito, com aquele nó no coração, lá lhe expliquei que a mamã não tinha vestido de noiva, que não tinha casado, apenas vivia com o papá e isso é que era importante.
Ela prontamente disse-me;
-Não faz mal mamã, arranjas outro e casas.
Eu sabia que esta perqunta, entre tantas outras um dia ia chegar.
Respondi com a verdade, a minha verdade, mas ela no alto dos seus 4 aninhos percebeu e bem.

Nota: tocou na ferida

Beijinhos, até já

12 comentários:

FOFINHA disse...

Pois um dia tinha k ser....
Mas ñ acho k seja mto grave...ñ é preciso casar para ser feliz.
E ela mais tárde vai entender isso... :o)))

Jinhos mto mto fofos, gandes e godos

Maria José disse...

Tinha de ser amiga, e a tua menina está a ficar uma mulher, mas olha até me fartei de rir com a tua Patuxa
bjs

mãe pimpolha disse...

Vá, tu consegues explicar-lhe que não é preciso estar casada para gostar do papá.
Beijocas!

Tété £ Xavier © disse...

És uma GRANDE mulher por dizeres a verdade à tua menina!
Por cá estamos na mesma situação e em nada ligamos ao casamento em si mas sei que quando chegar à nossa vez de "tocar na ferida" espero que o Xavier tenha a sensibilidade que a tua menina teve porque as crianças quando querem conseguem ser bem cruéis!
Beijos
Tété & Xavier

MaLLu disse...

:)
Quase todas fomos princesas um dia que queriamos casar :)
Quando a tua menina "despir" o fato de princesa vai ver o lado prático das coisas! E ver que o casamento é apenas uma formalidade e que não é essa formalidade nem uma meia duzia de papeis assinados que definem os sentimentos.

Bjs

Carla Silva disse...

Sabes que o R tb me pediu durante as férias que vestisse o vestido de princesa (leia-se de noiva..para ele somos principes e princesas neste dia..talvez por o ultimo casamento q assistiu ter sido num castelo)...No worry q para ela o q é normal é o que tem. Em relação ao vestido..e não é que até me está folgado??Fiquei contente atendendo que são 8 anos passados e dois filhotes..Bjocas

Simão disse...

Que linda menina e que sensibilidade teve a Patuxa. Está uma Senhorita!

Simão disse...

ah...esqueci-me de dizer outra coisa: e se um dia, o meu filhote me pedir p vestir o meu vestido de noiva, vou ter de arranjar uma desculp...é q apesar de ser casada e de o ter cá em casa...já não me serve!!!!

sorrisos da minha alma disse...

Quando existe amor, não é necessário aqueles papeis... tenta lhe explicar com palavras simples que o amor não precisa de escrita.

Bjs grandes

Carla disse...

Não fiques triste, eu tive o Tomás e a Carolina e só casamos no dia 13 de Outubro ultimo, ele com 4 anos e ela com dois acompanharam-me ao altar e tiveram a sorte de assistir e fazer parte do casamento dos pais, foi mágico, e para ti...se o realizares também vai ser!
Beijos grandes!

gasparzinha disse...

Não há que temer este tipo de perguntas, pois acho q encontras-te o caminho certo, o da verdade, claro que haverá situações em que a mesma tem de ser floreada, mas neste caso foi o melhor.
Beijinhos

maria-joão disse...

Minha querida, se isso para ti é uma ferida é porque não é a tua verdade, mas sim a tua realidade.
Para mim casamento é casamento, seja com vestido ou não, com papel ou não. Para mim está junto está casado, como o fizeram não interessa e é assunto de cada um.
Um dia dirigiu-se a mim a moça que vinha buscar qualquer coisa que o marido dela tinha deixado no meu local de trabalho.
Lógicamente eu não sabia quem era o marido. Conversa para cá, conversa para lá, o marido er o João, meu colega de escola primária que tinha lá estado no dia anterior. A minha surpresa foi tamanha que me sairam automaticamente as palavras:
" Ah! Conheço perfeitamente o João, foi meu colega de escola, não sabia é que ele era casado" - por isso é que foi mais dificil descobrir quem era.
A cara dela ficou vermelha e a voz soou mais baixa:
"Não somos casados, estamos é a viver juntos".
Eu repondi que para mim é a mesma coisa.
Resultado: fiquei eu envergonhada e ficou ela. Havia necessidade? Eu acho que não!