segunda-feira, janeiro 16, 2012

Á beira de um ataque de panico

Não sei se eu sou mesmo doida ou se existem mais pessoas como eu....senão vejamos.
De vez enquando dá-me um clic e a minha cabeça entrega-se a uma melancolia e a um cansaço que me deixa a própria visão turva ( e sou miope na mesma). Estou na fase down, toda eu estou cansada, tristinha, imcompreendida e mal amada e isto inclui tanta coisa....
Fisicamente anda por aqui alguma coisa a chatear, ainda não percebi bem o que será mas qualquer dia descobro, a idade não perdoa o cansaço instala-se nos ossos, tarefas rotineira deixam-me de rastos, a tosse deixa-me de rastos...
Na cabeça para além da tristeza tenho um ataque de comichão, caspas e afins que não me larga à meses bem largos, chego a ficar doida de tanta comichão. Parecem piolhos a andar mas não são.
As noites tem sido tão más que não tenho memória de me deitar e chorar, de desejar estar sózinha um segundo e descansar. Bem sei que tenho duas filhas amorosas e tal mas a verdade é que às vezes quero estar sózinha, fica mal dizer isto? Acho que não...sei lá...
Quando adormeço lá aparece a piolhita que quer dormir comigo e isso significa não dormir mais. Tenho ataques de panico na cama, sinto-me sem ar, estranha, penso que será nervos...sei lá...
A pele de tão dificil que é anda agora na fase da puberdade (que nem com a idade ao contrário lá chegava) umas borbulhas, uma especie de eczema...um reflexo profundo de como me sinto...
Preciso urgente de sair um pedaço daqui, de casa, de arejar, de apanhar sol...de receber o dobro do ordenado.
E chega de muro das lamentações, arre burro que a mulher é parva.
Até já e boa semana.

12 comentários:

Sissamar disse...

Não tens de te sentir culpada por teres esses sentimentos. Tb andei assim, tinha ataques de pânico e crises de ansiedade. Só melhorei com medicação que fiz durante 2 anos!!!
Depois e pq achei que já era demais, por iniciativa própria comecei a largar a medicação, gradualmente. Agora tenho medicação de SOS mas mesmo em situações complicadas, evito tomar e tentar lidar com a situação ao máximo o que exige um grande autocontrole que tem de ser aprendido.
O que interessa mesmo é que vejas o que te está a preocupar e a dar essas comichões, e quando perceberes o que é (se é que já não sabes) tentar a todo o custo resolve-las ou aligeira-las. Sei que é fácil falar, mas falo por experiência própria. Acredita que já passei por situações bastante complicadas mas consegui ultrapassa-las.
Muita força e luta, não te rendas ao desafio.
Beijinho

Angela disse...

Amada são fases, normalmente quando me sinto assim vem grandes mudanças,pois mulher é totalmente reação!Força querida Suas respostas aparecerão quando vc menos esperar!Bjo no coração.

mãe pimpolha disse...

Espero que seja apenas uma fase má, que passe depressa.
beijocas

Muxagata disse...

Como mãe, como esposa e como médica que sou, parece-me tudo normal. Nem todas passamos por esses momentos mas muitas de nós mulheres, mães e trabalhadoras sentimos isso tudo de vez em quando. Terapia boa costuma ser arranjar um tempinho só para nós na nossa rotina (sem desculpas). E quando as coisas mesmo assim parecem "pretas" ausentarmo-nos um pouco faz milagres. Aprender que não somos insubstituíveis e que uma família consegue andar pra frente sem nós, faz com que o peso que carregamos sobre as costas no dia-a-dia diminua um pouco. E faz também bem à família, porque andamos mais felizes e arejadas :)
Não temos tarefa fácil...
Tudo de bom. Muita força!
Beijinhos

La Belle Cuisine / ShabbyParis disse...

Ora bem...temos febre---Ben-U-Ron, temos tendinites----Voltaren, temos ansiedades---lexotan 1,5.
É como tudo, só fazemos medicação quando precisamos, porque quando não precisamos, paramos, é lógico!
Digo isto por experiência própria, ao fim de 45 anos de existência senti-me nas últimas semanas exausta, intolerante com barulhos, pessoas, carregada de preocupações com a saúde de familiares próximos, com mudança de casa dos meus pais aos 75 anos, consultas médicas deles e....para ajudar ao caso, marido operado de urgência ao apêndice! Parecia que ia cair no fundo do poço, com taquicardia, sudorese e vontade de me esconder...

Passou. Com umas boas noites de sono repousante aumentou a minha capacidade de assimilar as coisas e o lexotan a ajudar. Fiz 1 semana, já não faço e sinto-me muito melhor.
Mas não podemos esquecer que a nossa força interior vale muito e temos MESMO de contrariar as vontades de nos escondermos debaixo de uma mantinha, do mesmo modo que temos de deixar de assumir tudo como sendo da nossa inteira obrigação. DELEGAR é muito bom!
Bjos e melhoras!

Carina M disse...

Sao dias, pensa apenas que são dias e passa. Vê se encontras algum tarec para transformar. Acho-te tão bem quado andas de volta dos tarecos.
Bjs

An@ disse...

Ó mulher ... up up up

Levanta-te, sacode a poeira... e vamos em frente!

Bem sei o que isso é e garanto que momentos a sós são indispensáveis!
Tira um tempo para estares sozinha, dedicares a ti, fazeres algo que gostes e nem que seja apenas... estar só!
Tu é que tens que te impor isso a ti mesma e quem te ama vai respeitar!

Eu já tomei medicamentos e o que me atormentava mantinha-se lá!

Somos bem mais fortes que julgamos ser.

Força

Beijos
E vai daqui energia positiva para ti

Eva disse...

Maria Vicente eu acredito que é muito bom desabafar, a gente fica leve, a mulher é uma junção de hormônios, damos conta de tantas coisas que nosso equilíbrio fica afetado muitas vezes, entendo você, passo por isso muitas vezes, temos que respeitar esses nossos momentos que como disse muito bem a Ângela são tribulações próprias de uma transformação que acontece sem nossa consciência absoluta, mas para deixar nossa vida melhor, nessas horas precisamos ter paciência pois logo passa, deixo meu abraço e meu carinho para você, minha amiga querida. bjinho.

Mary disse...

Eu digo que a culpa é desta maldita estação do ano... fria, húmida e cinzenta.
BJs

Tita disse...

És lutadora, sempre foste!
É uma fase! Precisas de um miminho que seja, aproveita a hora de almoço e vai fazer as mãos, ou outra coisa que gostes. Da-te nem que seja 1 hora!!
Tu precisas! Um xi grande grande!!

As minhas horas de almoço tres vezes por semana, são minhas só minhas!!

Paula disse...

Maria tu tens um valor enorme . e sabes disso ! Apesar de outros não te valorizarem como deves ..o mérito ninguem to tira
Boa mãe e excelente dona casa . isso eu sei que és ...o resto minha querida cagari cagaró ...
um beijo enorme e sabes que podes contar comigo sempre que precisares
paula

Elisabete disse...

Eu partilho totalmente da opinião da Angela! Alguma coisa não está bem, e terá que mudar! Contudo, temos que ser positivas e com o ritmo do dia a dia, todas somos afectadas pelo stress. Temos que ter mais tempo para nós, fazermos coisas que nos dêem prazer.
Um beijinho grande,
Elisabete